quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

dolor agradable

(estavila)

em pedaços desordenados

esquisita, sem forma
sem jeito e sem vontade

a cabeça eletrizada
a roupa suja
e o sapato sem par

a calça curta
a blusa apertada
e o vestido amarrotado

estou do avesso
e ninguém notou

vida pequena

queria dormir mulher
e acordar Alice.

Um comentário:

Tiago Abreu disse...

a Alice, quem foi que disse que viver não é maravilhar-se?
e que o avesso do mundo é um Wonderworld?

fortes estes versos, penetrantes, quase viscerais...

é que você é linda ainda mesmo que do avesso, ou o inverso da tua beleza não é a desarmonia, nem o abandono em que esse poema te mostra...

"quem és tu"