segunda-feira, 28 de abril de 2008

(foto art por mim)

é por isso, que o quadro estava torto
quebrei o único espelho:
mais 7 anos de azar?
não.
nada de procurar um significado pra tudo
aceito que algumas coisas EXISTEM.
esse sonho não traz morte
nem dinheiro
não vou ser tia, nem mãe agora.
eu ando assim pelo quarto
eu ando assim em mim
perco a chave, o chão
perco o começo e o fim
penso que isso foi por causa daquilo
e aquilo foi culpa disso
sintomas de saudade
quase sonhando
acordo no susto
hoje não quero explicação
olha,
hoje,
eu apenas
EXISTO.

* estava sem internet, fiquei sem postar uns dias, e sem ler meus blogs preferidos. Obrigada por comentarem sempre, essa semana quero ler tudo que perdi por aqui!

16 comentários:

Camilinha disse...

Teve um tempo que eu achei que o que valia era apenas existir - doce engano. Eu existo desde sempre e nem por isso eu vivo. Sou capaz de ficar horas me recriminando tudo que não vivi, e ficar horas me recriminando por me recriminar assim... e continuo não vivendo... o que é viver, afinal? será apenas existir? fazer as coisas que nos mandam fazer? fazer todas as outras coisas por conta própria? Não sei, sinceramente. Não só perdi a chave que caiu no chão, mas perdi o chão também...

...preciso amar. acho que quem ama vive e existe...

beijos daqui...

Tiago Abreu disse...

como podes ser tão plena?
fico imaginando tu dizendo com outras palavras o que escreves...
Ana, és uma forma de arte.
(mas porque teus poemas doeam assim aqui?) - podes ter certeza que aqui também
tiago te ama
cada dia mais lindas letras fortes teu pulso pulsa!

nj.marabuto disse...

"ide e sede!" heheh mto bom! ;)

abrir as portas do inconsciente e deixar o amor tomar conta... amar-se, amar a vida, amar o outro, amar, amar, amar... assim, o existir se traduz em perfeição profusa até na inércia.

Germano V. Xavier disse...

Deixar ser para ser maior, ser o que se é de verdade para ver maior, ver mais e ser mais...

Poema que entusiasma...

Beijos, Ana!

Germano
Aparece...

a clara menina Clara disse...

hoje, eu também só existo.

beijo, beijo pra tu!

Sabrina disse...

dizem alguns que essa é a receita para a felicidade: simplesmente ser, sempre no momento presente.
que bom que você voltou!
:)
beijos...

Narradora disse...

Deixa estar...
Existir é pressuposto para plenitude.
Bjs

Carolina de Castro disse...

Vc sabe de uma coisa engraçada?
Acho que esse é o exercicio do poeta, quando ele apenas é. Quando ele apenas existe nasce um novo olhar.
A gente começa a perceber que ser apenas o observador é muito mais dificil do que parece.
Vc precisa abrir mão de tudo que não é seu para poder entender.
Fica ai uma boa reflexão no seu poema: Não ser para assim existir!
Grande beijo

Paloma disse...

Ana, já estava com saudades! Não sei quem foi que disse que tudo tem razão de ser...há coisas que simplesmente são! E você disse isso lindamente! Beijo carinhoso!

Bárbara M.P. disse...

Oi flor,

Aqui, como sempre, cheio de tons e sequências... detalhes e amplitudes...
Um belo passeio.

Beijos e um final de semana perfeito,

Bárbara

Juliana Caribé disse...

Dos seus textos que eu já li, esse foi o de que eu mais gostei.

Beijos.

Mr. Ziggy disse...

Tem momentos que não é bom ficar racionalizando demais, senão a vida passa a ser demasiadamente lógica e quadrada. Isso nos deixa mal adaptados ao acaso e as coisas passam a travar; e a água se esvai. Curti! Bjos!

Alice disse...

Ana,

Vim te ver o ouvir. Bom o comentário que vc deixou em meu texto. Valeu por dizer que tenho intimidade com as palavras, mas às vezes, sinto o contrário. Elas que têm intimidade comigo. Valeu por ler e por refletir e me fazer pensar. E qualquer coisa, pode perguntar mesmo. Adoro suas visitas.

Bjs...

Letícia

SAMANTHA ABREU disse...

ah, eu tento... eu tento...
mas é tão difícil!!!

Adorei.
Beijos!

MARIUS QUIRÓZ disse...

Existir, ser, fazer, acontecer.

Bjo!

Lúcia disse...

Adorei isso Ana! Vou dizer baixinho aqui, só pra tu ouvir: tem dias em que eu também só quero ser. E danem-se explicações e regras gramaticais e dane-se o fato de que deveríamos fazer sentido. O que é que, realmente, faz sentido? =)

Já ouvi dizer que nas tradições ciganas, quando se quebra um espelho, conta-se o número de pedaços e descobre-se a partir daí quantos anos você vai ter de felicidade. Em quem acreditar? Quer saber? Em nós mesmos!

Beijos!