sábado, 26 de janeiro de 2008

Diálogo do Palhaço e da Bailarina no buteco

- Aqui estou eu.
mais Eu do que nunca!
- Você, Palhaço do circo sem futuro
com a Bailarina da corda bamba do destino.
- Então eu desatino a bailar
pelas cordas bambas dos teus cabelos,
instrumento sublime
que é a voz dos teus movimentos
quando estamos unidos
pelo laço indesatável
de nossos tesos corpos.
- Corpos leves de sentimento
no trapézio do amor
onde o circo é o cenário
do viver sem rancor.
- Afinal temos de existir
de alguma maneira
seja como quem realiza
ou como quem deseja.
- Chega Palhaço,
vem e abraça tua Bailarina
se desapegue das rimas
que poema mesmo
é o que unimos
com nosso desejo!
- Então feche a conta,
que eu já perdi a conta
de quantas palavras
escrevi.

Um comentário:

Tiago Abreu disse...

lindo pas-de-deux da bailarina e do pierrot, que sem saber a total coreografia vão improvisando pelo picadeiro afora, "trapézio do amor"...
sim, despegar-me-ei da rima, ó bailarina, fiorina eu te seguro...
a minha única rima és tu, menina!