quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Licença pra Saudade

hoje eu tirei licença
pra lembrar e sentir saudade
é cada coisinha pequena
os detalhes, a cumplicidade
lembro-me de quando nos encontrávamos no escritório
e ali passávamos a tarde, sem fazer nada
mas fazíamos muito, fazíamos planos
apesar de tanto tempo, tantas cartas
éramos estranhos
cada olhar lançava uma dúvida
cada beijo era uma resposta
numa dessas tardes, te abracei forte
e disse que não tinha volta
estava atrasada
você me levou até a metade do caminho
lancei um olhar e te vi ao longe se afastando
senti saudade, e uma certa tristeza
desde então eu percebi
que nada podia ser feito
nunca na metade do caminho,
mas sim até o infinito.

2 comentários:

binho miguel disse...

Mais uma vez, mais um belo texto!
Sempre, viajo nas coisas passadas.
Principalmente aquelas que sempre deixam aquela saudade.
Histórias entre duas pessoas outrora saudades dos velhos tempos e dos velhos amigos.
mas é assim a vida.
Fico sem saber o que dizer!
E mais uma vez, achei muito foda teu texto!
(=

Beijo's querida!

*;

Tiago Abreu disse...

"cada olhar lançava uma dúvida/cada beijo uma resposta"
que expressão... e saber que versas sobre o inefável...
amora, jamais me esqueço que me entregaste o teu íntimo...
"saudade e uma certa tristeza" - como descrever com tanta intensidade uma sensação revivida na lembrança que nunca deixa de pulsar...
"nunca na metade do caminho/mas até o infinito" - assim eu fico mudo, deslumbrado... somente sinto...
me calo e consinto.