segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Última Parada

O dia está nublado
e a minha visão é a mesma
de um pára-brisas embaçado
Como em um dia de chuva
dentro de um carro na rodovia,
a chuva é tanta,
a neblina é muita.
Quando paro o carro
no desespero,
querendo saber onde estou
pois nada enxergo,
descubro que estou exatamente
onde eu deveria estar.

2 comentários:

binho miguel disse...

[b]Faço das tuas palavras no comentário teu ao meu blog, minhas!
Pois as vezes em lembranças, sonhos e desejos é que descobrimos as coisas mais belas de serem escritas! (:

Beijo's Querida!

Tiago Abreu disse...

amora... e você guia com tanta destreza essa carruagem em meio às brumas...!
então você se sente em casa?
minha casa é a tua companhia...
no mais, sou errante eremita...
...e teu corpo
é a casa que minh'alma habita.
...saber a direção aonde se vai é dádiva rara... eu bem já te disse outrora "tu és minha rosa-dos-ventos"
...meu vento sul...