quarta-feira, 26 de março de 2008

À espera

eu quero colocar uma roupa branca, e tê-la de trocar por causa de uma mancha. quero andar pela casa recolhendo os brinquedos espalhados. quero achar meu batom todo estragado, e marcas dele na parede. escritos no lençol da cama. comida em baixo da mesa de jantar. recadinho na mochila da escola. quero sentar no chão e apontar a caixa de lápis-de-cor. quero enfeitar as folhas dos cadernos, e encapar um por um. quero ter para-casa todos os dias. quero não poder sentar de frente a TV, e ter que procurar algo divertido o dia todo pra fazer. quero fazer o almoço de domingo com ela nos braços. quero andar na rua carregando aquela bolsa toda enfeitada de ursinhos. e almoçar no restaurante com aquela cadeira grande do lado. quero ir pra praia com um guarda sol bem grande e com a bolsa cheia de protetor solar. quero ter hora pra chegar em casa. quero acordar com aquele chororo danado. quero ter que assoprar machucado. esfriar a sopa. enfeitar festa de aniversário. chorar junto por causa de namorado. dar bronca por causa da chegada de madrugada. rir junto da paquera que está começando. comprar o primeiro sutiã. compartilhar da cólica. buscar no cinema, na primeira ida com o namoradinho. conhecer os amigos, e dar conselhos, contar minhas histórias mesmo que ela não goste. chorar de vê-la dormir. chorar sem dormir, sem saber onde ela está. te sonho, Paloma.

5 comentários:

Narradora disse...

Lindo o texto.
Gostei muito do blog.
Abraço.

Juliana Caribé disse...

Posso perguntar?
...
Você está grávida? (ou é mesmo só desejo?)
Eu tenho uma enorme vontade de ser mãe. Tenho dois enteados, que amo como se fossem meus filhos, com todo o coração. Passo, semanalmente (eles moram com a mãe) por essa rotina de ter a casa desarrumada, brinquedos espalhados, camas desarrumadas, risadas e passinhos enchendo a casa de alegria. E é a melhor sensação do mundo!
E eu fico pensando nos meus próprios filhos (os de sangue, porque amor não tem genética). Fico pensando que, do jeito que sou boba, vou chorar muito quando ouvir um “mamãe”. Ai, ai... Eu choro quando os meninos (meus enteados) dizem que me amam... Sou besta, né? Mas é que não tem felicidade maior nem melhor que sentir esse carinho sincero e livre ainda de receios e máscaras. A gente sabe e sente que vem mesmo do coração.
(O nome da minha filha, caso eu tenha uma, será Clara...)

Beijos.

Thallen disse...

Que lindooooooo *----*
Paloma, lindo nome.

Sabrina disse...

lindo demais!
é tudo isso e tanto mais!
amor da vida inteira...

Ana Cláudia Zumpano disse...

Queridos,
eu não estou grávida! ainda não! mas o meu sonho de ser mãe é enorme, e eu espero a Paloma sempre!
Bjos ;*