segunda-feira, 17 de março de 2008

Viagem

tomou o ar como partida,
levitando novos horizontes
olhou longe
apontando uma saída

quando saiu de casa
não havia sol que a esquentasse
nem chuva que molhasse:
tinha um objetivo

o sertão tá virando terra da garoa
e o humor resolveu mudar também
está quente, de repente chove
está triste, de repente alegre

na premissa união
tem uma idéia de começo
e agora ela se dá conta
que não vai cometer o mesmo erro.

6 comentários:

Leandro Jardim disse...

bonito mesmo, me pintou bela imagem!

Sabrina disse...

ainda que com o coração um pouco dolorido... que esse (novo) começo seja bom demais. e o meio também. e sempre!
um beijo!

Juliana Caribé disse...

Não disse que ia encontrar solução?
Torço daqui.

Beijos.
P.S. Vou te adicionar no msn, pra pegar seu endereço.

Beijos.

SAMANTHA ABREU disse...

Lindo!
vontade de sair cantarolando... saltitando.

Um beijo!

Lúcia disse...

Sorte, então!
E que os velhos erros não se repitam...

Beijos e boa semana!

Filipe Garcia disse...

Levitar... é disso que preciso.

Gostei mto da leveza do seu poema!

bjos