quarta-feira, 9 de abril de 2008

Cheguei aqui na agência hoje, no meu cantinho, e fiz o de sempre. Tomei meu cafézinho, recebi os mimos da Conceição e vim pro computador trabalhar. Um loucura! Aquela correria, recebe isso, aquilo... e eu gosto muito de assistir tudo isso de tão perto. Alguns se matam por tão pouco, outros quase nem se esforçam mais, e por aí vai. Meus planos são longe daqui, mas eu sei muito bem valorizar meu momento, é necessário e prazeroso até. Ultimamente, nos meus quase 20 anos, tudo é mudança, e perda também, mas muito ganho, muito. Ontem na praça, no projeto "Na porta da casa", Luís Dillah retornou a Uberlândia e fez um lindo show pra gente. Não podia ser melhor, encontrar pessoas queridas, tomar aquela geladinha, conversar até, ah! e ainda, literalmente na porta da minha casa. O próximo Quinta de 1a promete... semana passada o Naldo Luiz encantou, deixou todo mundo babando, quando subiu no palco e fez jazz com aquela sanfona linda, foi inacreditável! Ai... chega maio! chega! tantos projetos, tanta coisa boa! Sexta-feira, dia 11/04, inaugura o lindo Bonsai Arte Bar, nunca vi nada parecido, coisa fina, eu já tô lá! É isso... tem tantas novidades, a gente vai colocando aos pouquinhos...

Vou colocar aqui, um poema antigo meu, eu tinha uns 13 anos quando escrevi, e eu gosto dele demais, lembra tanta coisa vivida, que ainda vive, tanta força...

Levanta...
O dia estanca
a noite desmancha
O lápis na mão
corre a folha e
descreve a andança


7 dias. 7 vidas
o gato preto
cheira a melancolia
a sala de estar
abriga a mania
de achar que amanhã é outro dia


Mas o corre é o mesmo
e até debaixo do chuveiro
se faz contas nos dedos
Nas mãos o desespero
e a música toca a certeza
de saber que amanhã estarei cometendo o mesmo erro.

Ana.

10 comentários:

Alê disse...

Você é mineira?

Algo bem familiar: "Meus planos são longe daqui, mas eu sei muito bem valorizar meu momento, é necessário e prazeroso até."
Adorei! Parece que me leu (digo: leu meus pensamentos).

Beijos*

Camilinha disse...

mesmos erros?

faz isso não, menina... só se o erro for loiro, 190cm, fortão, inteligente, rico, olhos azuis...

hehehe

beijos daqui...

Alê disse...

Sou mineira da gema.
Trem bão, sô!
Muita luz!

Ah! É sempre bem vinda em meu blog.
Eu certamente virei pintar minha alma de roxo muitas vezes.

nj.marabuto disse...

precoce, menina! uma nada-incipiente sabedoria pra algo escrito aos treze. parabéns. me motivou a postar também meus primeiros escritos. quem sabe no próximo post. agora eu estou em prosa densa lá no meu canto.

beijos

Paloma disse...

Nossa, aos treze anos você escrevia assim! Que menina mais cheia de mundos misteriosos e líricos deve ter sido!
Na verdade, acho que muitas de nós somos, mas poucas sabem expressá-lo com tanta beleza!
Beijos, Ana.

Paulo Fernando disse...

Quero ter seus treze anos pra mim. Deixa, vai. Deixa! Please! I want it! rs

Bjos, minha querida!

Muito interessante a poesia.

Juliana Caribé disse...

Menina, 13 anos? Muito bom para uma pré-adolescente.
Você é talentosa desde cedo...

Beijos.

Ana Cláudia Zumpano disse...

Alê,
espero vc sempre aqui... ah! e tenho um presente pra vc, um sapatinho que tenho certeza que vc vai amar, posso te mandar por e-mail?

Camila,
vc sempre com seu humor né, custosa! rsrsrs

Marabuto,
eu adoro revirar meus papéis antigos, ler escritos, ver fotos! é bom pra vermos como tudo mudou. faz isso também! eu estou lendo seu conto, já já comento!

Paloma,
sempre vivi outro mundo aqui dentro de mim e da minha cabeça, acho que como vc disse, todo mundo é assim, mas só algumas pessoas deixam esse lado ser o mais importante, o principal... e obrigada pelo elogio!

Jú,
a pré-adolescente aqui durou pouco, eu tenho uma irmã 10 anos mais velha que eu, acho q amadureci junto com ela, com 10 eu já era estranha... rsrs
Talentosa é vc!!!

Sabrina disse...

adorei!
também gosto de revirar escritos antigos...
Fiquei pensando no que você estava vivendo para escrever tudo aquilo com 13 anos! Com 13 o máximo que eu fazia era escrever cartinhas...

beijos!

Ana Cláudia Zumpano disse...

Sabrina,
eu me lembro que eram sentimentos relacionados a família... pré-adolescente confusa, fazendo um monte de coisas, e querendo fazer mais um milhão... acho q era mais ou menos isso! rsrs
bjos ;*