sexta-feira, 18 de julho de 2008

video

Quando piso em folhas secas
Caídas de uma mangueira
Penso na minha escola
E nos poetas da minha Estação primeira

Não sei quantas vezes
Subi o morro cantando
A luz do Sol me queimando
E assim vou me acabando

Quando o tempo avisar
Que eu não posso mais cantar
Sei que vou sentir saudade
Ao lado do meu violão e da minha mocidade

8 comentários:

rafa disse...

pq q vc é assim?

Germano Xavier disse...

Um texto sobre a face do Tempo que mais marca.

Do tempo em que não nos afrouxa a vida.

Abraços, Zumpano.
Germano
Aparece...

Esch Haim disse...

Elis sempre me lembra você, Ana; ela era tão à flor-da-pele, "Quando o tempo avisar que eu não posso mais cantar" - fatal momento que nos aguarda a todos, no inverno do nosso tempo, repouso, Requiem.

Camilla Tebet disse...

POr que o tempo vai te avisar de tal maldade? Solte a sua voz e sinta saudade desde já, de tudo o que anda fazendo, assim fará mais feliz.
Bjos

a clara menina Clara disse...

Elis reina!

Narradora disse...

Excelente lembrança.
Bjs

Val Becker disse...

Elis maravihosa!

Beijo, querida.

Leandro Neres disse...

Maravilha foi conhecer este espaço, voltarei.
Abs
Leandro